Baterias e Equipamentos de Carros Araguaína, Tocantins

Baterias e Equipamentos de Carros em Araguaína. Encontre endereços e telefones de lojas, concessionárias e autorizadas em Araguaína que vendem Baterias e Equipamentos de Carros.

Leo Auto Center
(63) 3414-0157
Rua 13 de Maio 145 qd 8 lt 9
Araguaína, Tocantins
 
Street Car
(63) 3413-2524
Rua 13 de Maio 130
Araguaína, Tocantins
 
Rei dos Faróis
(63) 3421-1665
Avenida Cônego João Lima, 583
Araguaína, Tocantins
 
Alternativo Auto Peças
(63) 3415-2220
Avenida Bernardo Sayão 495 qd 1 lt 2
Araguaína, Tocantins
 
Eduardo Autocenter
(63) 3415-3297
Avenida Santos Dumont 1532
Araguaína, Tocantins
 
Locauto
(63) 3413-1646
Avenida Dionísio Farias qd ARE lt 1
Araguaína, Tocantins
 
Propeças Comércio de Peças
(63) 3414-1112
Avenida Cônego João Lima 650
Araguaína, Tocantins
 
Dacar
(63) 3421-1722
Avenida Cônego João Lima 1501
Araguaína, Tocantins
 
Umuarama Const Terrapl Paviment
(63) 3413-1646
Avenida Dionísio Farias qd 68 lt 1
Araguaína, Tocantins
 
Auto Peças Calaca
(63) 3415-1883
Avenida Bernardo Sayão 939 qd 11
Araguaína, Tocantins
 

Baterias e Equipamentos de Carros

Muitos motoristas já passaram pela situação de voltar ao carro, girar a chave na ignição e nada do veículo funcionar porque a bateria havia perdido a carga. O que fazer nessa hora? Saiba como agir nesses casos e como evitar que a falta de energia no automóvel faça você perder tempo.

Quando não conseguir fazer o carro pegar, é necessário primeiro verificar se realmente o problema é na bateria, como explica o gerente de produtos das Baterias Moura, Antônio Gomes Pereira Júnior. “Como você tem certeza de qual é problema, se o motor de partida for acionado, fizer barulho, não é bateria. Se ficar em silêncio, pode ser que a bateria esteja descarregada”, diz.

Após constatar o problema, Pereira recomenda que primeiro se tente recarregar a bateria, para que se possa fazer uma análise. “Depois que ela estiver carregada, se faz uma analise medindo a tensão usando equipamentos para simular a partida do veículo”, explica. Isso é necessário para definir se a peça apenas descarregou e pode ser recarregada para seguir seu uso ou se está com algum defeito mais sério, que tornará necessária a troca por uma nova.

A cada partida que se dá no veículo é tirada um pouco da energia da bateria, mas automaticamente o alternador é acionado para repor a energia. Caso a bateria esteja com defeito, porém, ela não recarrega e precisa ser substituída. Se ainda esteja na garantia, pode ser trocada.

Evite cabos adicionais

Quando o carro morre, muitos motoristas recorrem à famosa “chupeta”, ou seja, usar cabos para puxar a energia da bateria de outro veículo. Mas, para ele, isso é um erro. “Uma chupeta pode queimar um componente eletrônico do carro”, alerta. Mas se mesmo assim o motorista fizer por risco dele, a sugestão é que leve a bateria para recarregá-la, pois o alternador pode não dar conta de carregar completamente.

Em algumas auto-elétricas se recomenda que o motorista, após fazer o carro pegar, dê uma volta mais longa para recarregar a bateria com o alternador. “Isso às vezes é ruim, porque não recarrega totalmente”, diz Pereira. Assim, quando a bateria volta a apresentar falta de energia, o condutor é levado a acreditar que ela está com problema, quando na verdade só não estava totalmente recarregada.

Para diminuir os riscos de ficar sem bateria, algumas dicas podem ser seguidas. A primeira é ter atenção com a corrente de stand by, presente em todos os veículos. Mesmo parado, o veículo consome energia da bateria com equipamentos eletrônicos que nunca desligam, como a central de injeção eletrônica, o alarme e a parte frontal do rádio. Por isso, é aconselhado retirar a frente do rádio, quando possível, para evitar o consumo de energia. Além disso, deixar rádio ou faróis ligados com o carro desligado vai acelerar a descarga da bateria.

Além de cuidar para desligar tudo, usar produtos homologados pelas montadoras e que se encaixem na capacidade da bateria, para evitar que em pouco tempo a bateria seja descarregada. Em casos de sons potentes, por exemplo, é preciso avaliar se a peça tem a capacidade suficiente.